Neste post vamos:

  • falar sobre a segunda maior festa popular do Brasil,
  • conhecer dois dos mais importantes poetas brasileiros,
  • refletir sobre as vantagens e desvantagens da vida no campo e na cidade.

Vem com a gente!

Festa Junina Vetores por Vecteezy

Depois do Carnaval, a Festa Junina é a maior festa popular do Brasil. Ela acontece no final do mês de junho e celebra três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. No entanto, segundo a historiografia, vários povos antes da era cristã já faziam rituais agradecendo à fertilidade e à fartura das colheitas de junho. Por volta do século 10 d.c. a igreja católica cristianizou esses rituais, estabelecendo dias de homenagens aos três santos. Aliás, os povos originais, que habitavam o Brasil antes da chegada dos portugueses, também faziam celebrações ligadas à agricultura, de modo que durante a colonização tradições européias se misturaram às celebrações indígenas e ao modo de vida rural da população brasileira, tornando a Festa Junina uma comemoração multicultural. A quadrilha, dança típica das festas, tem origem francesa; a música típica é o forró, original do sertão nordestino; as comidas, à base de milho, amendoim, batata doce e mandioca, têm origem indígena e a fogueira foi reinterpretada com um sentido cristão. As maiores festas juninas do Brasil acontecem em Caruaru, no estado de Pernambuco, e em Campina Grande, na Paraíba.

Adaptado de: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-surgiram-as-festas-juninas/

Assista ao vídeo sobre as Festas Juninas de Caruaru e Campina Grande. O que acontece nas festas? O que o repórter quer saber?

E no seu país? Quais são as maiores festas populares?

Vida na roça vs. vida na cidade

Imagem de Daniel Ribeiro Cortat Arastoro por Pixabay 

Como as Festas Juninas celebram originalmente a fartura na colheita e as chuvas no sertão, elas recriam a vida no interior, ou seja, na roça. Os homens, fantasiados de caipira, usam camisas xadrez, chapéus de palha e calças remendadas. As mulheres usam vestidos de chita coloridos, fazem tranças nos cabelos e pintam sardas no rosto. Tradicionalmente é encenado um casamento na roça, com muita briga e confusão. Mas no final, tudo acaba em festa!

Leia um poema do escritor Carlos Drummond de Andrade sobre a sua infância no interior.